• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Milhares de pessoas participaram do 27º Grito dos Excluídos em Campo Grande

A defesa da democracia, a luta contra a fome e o pedido de impeachment de Bolsonaro, marcaram a manifestação que contou com cerca de 3 mil pessoas nas ruas da capital

Publicado: 08 Setembro, 2021 - 15h22 | Última modificação: 08 Setembro, 2021 - 15h48

Escrito por: Sérgio Souza Júnior

Sérgio Souza Júnior
notice
27 Grito dos Excluídos Campo Grande - MS

Na tarde do 7 de setembro, aproximadamente 3 mil pessoas, conforme a organização, saíram às ruas de Campo Grande, levando a sua indignação com o atual governo federal e pediram o impeachment de Jair Bolsonaro, o protesto teve inicio às 15h, na Praça Ary Coelho.

Já tradicional entre os movimentos populares, a ação tem caráter nacional, sendo esta a 27ª edição do Grito dos Excluídos, que ocuparam as ruas em mais de 200 cidades, uma iniciativa da igreja católica, apoiada pelos movimentos sociais que neste ano trouxeram a pauta do impeachment de Bolsonaro, a participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda.

Segundo Vilson Gregório, presidente da CUT-MS, “este foi um belíssimo ato, bem representativo, muitos sindicatos atenderam à convocação da central única dos trabalhadores, das igrejas, movimentos sociais, partidos políticos dos trabalhadores, dos nossos companheiros indígenas, do pessoal da cultura e o nosso recado foi dado e aqui ninguém pagou ninguém”, citando o vídeo que circula na internet, gravado em ônibus de bolsominions onde é mostrado uma pessoa distribuindo o valor de R$100,00 por manifestante.

Sérgio Souza JúniorSérgio Souza Júnior
Vilson Gregório, Presidente da CUT-MS

“Todos estivemos pela nossa livre vontade de tirar o presidente do país que está aí, que não tem condições de ficar mais no poder, nó voltamos às ruas com a vontade de derrubar esse governo, defendemos a garantia das vacinas para a população, comida, emprego e democracia, principalmente democracia que está sendo atacada no Brasil”, disse Vilson.  

A participação de sindicalistas de várias categorias foi muito marcante durante o ato, que levaram suas bandeiras, pautas sindicais e bateram panelas na manifestação.

O Grito dos Excluídos também contou com grande reforço nos cuidados de biossegurança dos manifestantes, foram disponibilizadas máscaras PFF2 no ato, álcool gel e em diversos momentos foram criadas linhas de corredores, para contribuir com o distanciamento social.  

A manifestação popular foi pacífica, a organização do Grito do Excluídos ficou atenta à questão da segurança dos manifestantes durante o trajeto no período da tarde, sem registrar nenhuma ocorrência grave, tendo o protesto dos bolsonaristas sido realizado na capital do estado no período da manhã.