• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Carreata pede Impeachment de Bolsonaro em Campo Grande (MS)

O protesto organizado através das redes sociais, recebeu adesão de centenas de participantes e contou com o apoio de dirigentes da CUT-MS

Publicado: 17 Janeiro, 2021 - 20h26 | Última modificação: 17 Janeiro, 2021 - 21h10

Escrito por: Sérgio Souza Júnior

Giovanni Coletti
notice
Vilson Gimenes, Presidente da CUT-MS, fazendo sua intervenção no carro de som

Aconteceu na manhã deste domingo, nos altos da Avenida Afonso Pena em Campo Grande, capital do estado, uma mega carreata pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro, visando assim derrubar o seu projeto genocida, que tem ceifado a vida de milhares de brasileiros.

Ironicamente realizada no dia 17, a manifestação foi organizada através das redes sociais, fruto da indignação pelo desrespeito de Bolsonaro com a vida das pessoas e a falta de ações concretas frente a maior crise sanitária mundial (chamada de gripezinha pelo presidente), uma crise sem precedentes desde a gripe espanhola de 1918.

A demora no uso das vacinas no Brasil, enquanto países mundo afora chegam ao seu primeiro mês de vacinação, a situação caótica dos hospitais de Manaus que ficaram sem oxigênio, causando a morte de dezenas de pacientes, fato que gerou comoção mundial, foram algumas das situações relatadas pela organização, como estopim para a manifestação.

A CUT-MS tem sido uma organização que vem pautando diversas ações pelo Fora Bolsonaro e seus diretores participaram ativamente desta carreata, fornecendo apoio e suporte ao movimento.

DivulgaçãoDivulgação
Selfie do Presidente da CUT-MS, Vilson Gregório na manifestação

 

O Presidente da CUT-MS, Vilson Gregório comentou sobre a importância desta ação, “é o governo da morte, da desigualdade social, que a todo momento faz falas contra as vacinas, nós queremos vacinas para todos e todas, é a hora de nos organizar e pedir o fora Bolsonaro”, disse.

“Ele está protelando a vacinação da população, o brasil está sem comando. Estamos aqui para mostrar a nossa indignação pelos milhares de mortos, Não queremos mais esse governo para o Brasil”, disse Vilson Gimenes, Presidente da CUT-MS para a imprensa local.

Palavras de ordem ecoaram pelas ruas do centro de Campo Grande neste domingo, “Fora Bolsonaro”, “Governo Genocida”, “Em defesa da vida e do emprego”, “Impeachment Já” “Fora Lixo” marcaram a manifestação.

Segunda a organização do evento, aproximadamente 450 veículos participaram da carreata, que desviou de locais onde estavam sendo realizadas as provas do Enem.

O Enem, de responsabilidade do governo federal, foi realizado na manhã deste domingo e nas redes sociais foram identificadas muitas imagens e denúncias que o evento promoveu aglomeração pela quantidade de pessoas envolvidas, além de salas de provas com mais de 80% da capacidade, o Inep chegou a declarar que a ocupação das salas atingiria 50% como medida de proteção sanitária, contra a COVID-19.

Neste mesmo dia, a ANVISA aprovou por unanimidade o uso de duas vacinas, a Coronavac da Sinovac em parceria com o Butantan e a vacina de Oxford em parceria com a Fiocruz, sua distribuição será feita pelo SUS, através do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Até o momento não foram divulgadas as quantidades para cada estado brasileiro.

DivulgaçãoDivulgação
Da esq. para dir. Neide Rodrigues (Presidenta do SEEB-CG) Cléo Bortolli (Presidenta da FETIEMS) 
Vilson Gregório (Presidente da CUT-MS)